Ano Letivo

2014/2015

Unidade Curricular

Atelier 3A – Espaço Público

Ano Curricular


Docência

Marta Labastida

Título do Exercício

O Espaço Público de Fafe

Lugar de Intervenção

Praça Mártires do Fascismo, Fafe

Enunciado do Exercício

O programa tem como objectivo propor alternativas de intervenção a partir de uma reflexão critica da função, da imagem e das distintas apropriações do espaço público contemporâneo. O exercício implica, em primeiro lugar, uma posição crítica perante o sistema de espaços colectivos de Fafe e uma exploração de novas formas de apropriação colectiva. As conclusões são concretizadas num projecto/estratégia que contemple entre outras questões: a articulação entre os espaços públicos de Fafe, a transversalidade das escalas implícitas na área central de Fafe, a flexibilidade e a complementaridade entre outros espaços e programas colectivos, as relações entre espaços de distintos domínios (público/privado), o tempo e a variabilidade como argumentos para programar os usos coletivos, a participação social como estímulo imprescindível no desenho e futura apropriação do espaço central de Fafe, a mobilidade suave e a pressão do automóvel, a multiplicidade de dinâmicas e opções num mesmo espaço.

Limites

Dário Cunha, Elena Moroni e Tiago Neto

ACT-20142015-ATL3A-GRUPO_B-img-01

1/2

A análise da cidade de Fafe foi uma das etapas relevantes deste trabalho. Esta permitiu desenvolver uma reflexão sobre dinâmicas, vivências e circunstâncias existenciais. Deste modo foi captado que a Cidade desenvolveu-se a partir das Estruturas Viárias e que existe atualmente uma desconexão entre os vários núcleos urbanos com distintas características. Propõem-se, assim, que a ciclovia existente se prolongue a vários espaços com o propósito de os unificar e interligar. Este novo traço urbano tem como objetivo hierarquizar os diferentes níveis de mobilidade existentes e afastar o veículo automóvel do centro da Cidade.

 

 

ACT-20142015-ATL3A-GRUPO_B-img-02

2/2

A Praça dos Mártires do Fascismo trata-se de um espaço central e importante da Cidade, no qual se implanta de forma sóbria o edifício da Câmara Municipal. Deste modo exigiu uma intervenção mais pormenorizada que os restantes espaços. Esta começou por analisar e repensar os seus limites, com a finalidade de definir o espaço com um novo desenho capaz de dotar a praça com novas dinâmicas que permitam que esta seja um elemento articulador entre os vários espaços da Cidade.

 

Como síntese do trabalho conclui-se que o método utilizado na Praça Mártires do Fascismo poderá ser explorado noutros espaços de Fafe.